Intervenção terapêutica - Medicina tradicional chinesa

Anonim

Medicina tradicional chinesa

Medicina tradicional chinesa

Intervenção terapêutica

Equilíbrio entre saúde e energia A origem das doenças Os quatro elementos do diagnóstico As possibilidades terapêuticas Prevenção: a importância da arte de nutrir a vida
  • Balanço de saúde e energia
  • A origem das doenças
  • Os quatro elementos do diagnóstico
  • Possibilidades terapêuticas
  • Prevenção: a importância da arte para alimentar a vida

Balanço de saúde e energia

Na medicina chinesa, a saúde é uma expressão da harmonia do homem, entendida em sua totalidade. Como vimos, toda a realidade é qi, energia em movimento e transformação contínuos; o qi do qual o homem é composto deve estar em harmonia com o das estações (tempo) e com o ambiente em que ele vive (espaço).

A harmonia também deve informar a relação entre as várias partes do corpo e entre as energias que compõem o organismo, a mente, o espírito e a psique. Para a mentalidade chinesa, a saúde não é dada, mas é uma busca contínua por equilíbrio e bem-estar; a doença não é um evento acidental, procurado por acaso, mas depende da relação que o homem tem consigo, com as pessoas com quem vive e com o ambiente que o cerca.

Em outras palavras, a saúde e a duração da vida dependem das energias hereditárias que o homem recebeu no nascimento, mas, sobretudo, de seu estilo de vida e capacidade de permanecer calmo, estabelecendo relações positivas com outras pessoas. Ele tem a responsabilidade de acumular a herança energética recebida no nascimento e não a dispersar em uma vida completamente não regulamentada.

Para indicar saúde / doença alternada, os chineses usam dois caracteres: ping e bing. A análise etimológica do primeiro caractere, como pode ser visto na figura, ilustra o conceito de saúde segundo a medicina chinesa: a parte vertical designa uma respiração que, superando o obstáculo (primeira linha horizontal), se estende livremente (segunda linha horizontal) em ambas as direções, ou seja, em todas as direções. O estado de saúde é a harmonia na qual tudo circula livremente sem fazer barulho, sem sintomas.

Para o estado de saúde, o ping opõe-se à perturbação, ao obstáculo à saúde, ao bing ou ao acidente de caminho que interrompe, freia ou bloqueia, conforme apropriado, a livre circulação de sangue e murmúrios, regulando os mecanismos abertura e fechamento, desequilíbrio do conjunto de vazios e sólidos: a aparência da doença é interpretada pela medicina chinesa como o resultado da luta entre a energia correta, zheng qi, e a energia perversa, xie qi, no caso de o último ter vantagem. A energia zheng é "a energia correta" porque está em perfeita concordância com tudo o que ocorre dentro e fora do organismo e porque está de acordo com a estação e a natureza do indivíduo; essa energia entra em um estado de autodefesa quando entra em contato com a energia perversa. De fato, fatores de desequilíbrio intervêm contra fatores de equilíbrio, conhecidos como fatores patogênicos e identificados com a energia perversa x e qi que, atacando o organismo, podem induzir desequilíbrios e determinar o aparecimento de doenças.

Então a energia perversa xie se opõe à energia zheng correta. Etimologicamente, o último personagem evoca algo oblíquo, não certo, desviante. O pictograma antigo designa no lado esquerdo um dente canino, uma presa, algo que ataca, enquanto no lado direito indica uma cidade fortificada: o significado do personagem é que algo ruim, perverso, entra em uma realidade por mais defendida.

O caráter xie, oblíquo e perverso, portanto, se apresenta como oposto e complementar ao caráter zheng, que significa "reto, correto, normal". A expressão xie qi, que é "energias perversas", designa, portanto, a introdução de uma perturbação no jogo das energias normais.

Voltar ao menu